Na semana passada publicamos aqui no blog a origem e significado de 5 expressões tipicamente portuguesas.

E esta semana, porque gostamos tanto do tema, deixamos as restantes 5.

Preparado?

Leia também  A palavra pai
  • Favas contadas

“Oh, isso são favas contadas!” já alguém lhe terá dito com um encolher de ombros e olhar de desdém.

Claro que, à partida, perceberá intuitivamente o que lhe está a ser dito, mas se pensar bem no assunto… o que significa favas contadas?

  • Quer dizer que há um racionamento da leguminosa e só podemos comer umas quantas?
  • Ou porventura, em vez de se venderem ao quilo vender-se-ão à unidade?
  • Mas que tem isso a ver com o contexto de certas conversas como: “Tenho tanto medo deste exame…”, “Não te preocupes. Isso são favas contadas!”

Portanto, explicando, a expressão significa que alguma coisa será certa, que não há motivos para preocupação. Que há expectativa de um resultado favorável e previsível.

Mas qual a ligação entre favas e o significado atribuído à expressão?

Ao que se pode apurar, a expressão é muito antiga e surge da forma como era feita a eleição do abade em muitos mosteiros medievais. Nessa altura utilizavam-se favas de cor preta e favas de cor branca, que eram distribuídas pelos votantes. No ato de votação cada votante depositava uma das favas numa bolsa sendo que, na contagem dos votos, as favas brancas significavam um sim e as favas pretas um não. Assim, quem tivesse o maior número de favas brancas estava eleito.

Muito mais simples que o voto eletrónico, não?

Leia também  4 dos poemas de amor mais bonitos em português
  • Rés-vés Campo de Ourique

Pronto. Esta é uma expressão tipicamente portuguesa, com origem no nosso país e absolutamente nacional.

O que significa? Ficar bem perto de conseguir ou atingir algo. Por exemplo: é pá, este estacionamento foi mesmo rés-vés Campo de Ourique. Que é como quem diz “mais um bocadinho e davas cabo do espelho do carro”.

E qual a sua origem? Em1755 um terramoto assolou Lisboa a 1 de novembro e quase destruiu a cidade toda. Já o bairro de Campo de Ourique ficou intacto pelo que começou a usar-se a expressão “foi rés-vés Campo de Ourique” com o intuito de dizer “foi quase, quase também destruído”.

  • Isso são outros quinhentos

E era bom que fossem euros! 🙂

Normalmente usamos a expressão quando queremos dizer “que isso é outra coisa, outra situação, que não vem agora ao caso”. Por exemplo:

Estava a comer um bife com batata frita quando um sujeito apareceu (vinha acompanhado de um cão enorme, mas isso são outros quinhentos) e me pediu cinco euros.

E de onde surge a expressão? A maioria das pesquisas indicam que nasceu a partir de uma lei que vigorou na península ibérica no século XIII. Segundo a mesma, quem ofendesse um nobre tinha de lhe pagar 500 soldos. Se reincidisse e voltasse a ofender teria de pagar “outros quinhentos”. A expressão pegou e daí ficou.

Ah. Parece que se o ofendido não fosse um nobre a multa era só de 300 soldos, o que nos parece uma grande discriminação. Mas lá está, isso são outros quinhentos.

Leia também  5 palavras que lembram o verão
  • Ter o rei na barriga

Não há como negar: todos nós conhecemos alguém arrogante, “com a mania”, que tenta passar uma imagem de superioridade, que pensa ser mais importante do que é.

É fato: acusarem-nos de ter o rei na barriga não é coisa boa.

Mas sempre foi assim?

Não. E prova disso mesmo é o surgir desta expressão. Durante o período da monarquia portuguesa, uma das notícias mais festejadas pelo reino era a de que o rei teria um herdeiro para sucedê-lo. Logo, o que é que acontecia à rainha quando estava grávida? Passava a ser mais mimada, tratada com mais atenção e cuidado uma vez, em termos práticos, ela estava a gerar o futuro príncipe e o futuro do reino.

Perante tanto mimo, era normal que a rainha se começasse a sentir mais importante do que todas as outras pessoas, adquirindo esse ar mimado, arrogante de… quem tem o rei na barriga!

  • Maria vai com as outras

Esta expressão é também bastante frequente. Ouvimo-la quando alguém quer dizer que aquela pessoa não tem opinião própria, não tem vontades ou sente dificuldades em tomar decisões. Quando se quer dizer que a pessoa em causa tem pouca personalidade uma vez que concorda com tudo o que lhe dizem, não tendo uma opinião critica sobre esse assunto.

“Não aprende. É mesmo uma Maria vai com as outras”.

Mas quais outras?

Na verdade, podemos responder a esta questão ao percebermos que esta expressão surge associada a Dona Maria I, rainha de Portugal, mãe de D. João VI, popularmente conhecida como “A Louca”.

Dona Maria I tinha sérios problemas mentais que a impediam de governar, pelo que foi afastada do trono e passou a viver praticamente privada da sua liberdade, só saindo para caminhar com as suas damas de companhia:

Era a Maria que ia com as outras! E que, coitada, não tinha poder algum sobre nada da sua vida.

No fundo, bem triste, não é?

Leia também  Arrendar, alugar, injuriar, difamar, roubar, furtar - as diferenças

Pronto. Estão apresentadas mais 5 expressões, seus significados e origens. E agora é tempo de perguntar: qual gostou mais?

Conte-nos tudo nos comentários e enquanto espera o nosso regresso, na próxima semana, vá dando uma olhada no nosso facebook e instagram.

Estamos sempre por lá e contamos com a sua companhia.

Até para a semana.

0
Comments

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *