“O saber não ocupa lugar” e há junções de palavras que não saem de moda: provérbios!

Porque, em boa verdade, “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura” crescer a ouvir provérbios faz com que os decoremos e usemos, muitas das vezes sem reparar.

(Para que não restem dúvidas, provérbios são expressões que se mantém imutáveis através dos tempo, aplicando exemplos morais, filosóficos e religiosos.)

Ora, como “o prometido é devido”, depois de o fazermos no facebook deixamos agora no blog…10 provérbios que mencionam palavras (e a sua explicação)

Um de vários provérbios: quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto.
«Expressão que se utiliza para indicar que cada pessoa relata um mesmo acontecimento ou facto acrescentando pormenores da sua autoria» [in Dicionário da Língua Portuguesa 2008, da Porto Editora].

Um de vários provérbios: "quem diz o que quer, ouve o que não quer".
O significado disto é evidente: aquilo que fazemos, escrevemos, dizemos tem consequências.

E… se estamos à vontade para dizer tudo o que o que nos apetecer, é provável que tenhamos de ouvir a resposta que o outro quiser.

Um de vários provérbios: "A palavra é de prata, o silêncio é de ouro".
Encontramos a melhor explicação para este provérbio no ciberduvidas:

«Falar (isto é, tomar a palavra) no momento certo é importante, mas manter a reserva ou saber conter-se em determinadas ocasiões é-o ainda mais.»

Um de vários provérbios: "Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és".
Quer dizer que podemos perceber o carácter de alguém através das pessoas que se rodeia.

Isto acontece uma vez que o ser humano se deixa – por norma – influenciar pelo Outro.

Um de vários provérbios: "As palavras são como as cerejas, vêm umas atrás das outras".
É difícil encontrar quem não goste de cerejas.

E é difícil encontrar quem gostando de cerejas apenas coma uma tendo um quilo no regaço.

Este provérbio refere-se ao facto de que quando falamos, escrevemos, conversamos é comum as palavras surgirem e os assuntos se irem interligando uns nos outros.

Leia também  4 erros mais frequentes em português

Um de vários provérbios: "Diz o roto ao nu porque não te vestes tu?"
Este é evidente:

É mais fácil vermos – e apontarmos – os defeitos alheios do que os próprios.

Há quem também use “fala o roto do esfarrapado” sendo o significado o mesmo.

Um de vários provérbios: Para bom entendedor meia palavra basta"
Também aqui consideramos a explicação do Ciberdúvidas:

«Não vale a pena falar em demasia quando o interlocutor já compreendeu a mensagem» ou «devemos estar atentos áquilo que não foi dito, mas podemos subentender».

Um de vários provérbios: "Bonitas palavras não engordam gatos"
Significa que às vezes, mais importante do que o que se diz é o que se faz.

E por mais bonito que sejam algumas palavras e intenções… o melhor, em alguns casos, são as ações práticas.

Um de vários provérbios: "A palavras loucas orelhas moucas".

Ou seja, há coisas a que não vale a pena dar importância, sobretudo se ditas ou feitas por pessoas que não sabem nem têm plena noção do que dizem ou fazem

Não há grandes dúvidas e não poderíamos concordar mais.

O que é dito, seja em conversa informal, seja em reuniões de trabalho, seja em entrevistas, aulas, colóquios… enfim, o que é dito não tem a mesma segurança do que é escrito.

Esquece-se mais facilmente, perde-se mais facilmente, pode deixar de existir com mais rapidez.

Escrever o que se disse – ou seja TRANSCREVER – assegura segurança, capacidade de análise, eternidade.

 

É certo que “presunção e água benta, cada qual toma a que quer”.

Mas nós transcrevemos bem. Temos os transcritores mais qualificados e a melhor tecnologia. Cumprimos prazos. Asseguramos rigor. Revimos tudo. Praticamos os melhores preços.

 

Também é certo que “quem mais jura mais mente”.

Mas no nosso caso podemos jurar, assegurar, assinar e contratar que sabemos o que fazemos.

Que privilegiamos cada trabalho como O trabalho. Que assumimos que cada solicitação de transcrição é A solicitação e asseguramos total rigor.

Leia também  Plataforma weScribe em 10 #randomfacts - parte 2

 

“Santos da casa não fazem milagres”.

Mas a weScribe é e será a casa de muitos transcritores.

É e será a plataforma de muitos clientes. E a junção de ambos num trabalho de qualidade, a preços competitivos e total rigor não é um milagre: é fruto de quem faz o que gosta para quem precisa.

 

Corremos por gosto. Não nos cansamos.

Experimente.

Ponha-nos à prova 😉

Faça já o seu pedido.

 

0
Comments

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *